sexta-feira, 22 de maio de 2015

Como deve ser a recuperação pós-imobilização da entorse

http://www.fisioterapia.com/public/files/noticia/tornozelo.jpg

Estima-se que 25 mil pessoas sofram algum tipo de entorse de tornozelo por dia no Brasil. Muitas vezes banalizada e negligenciada é uma das principais lesões esportivas. Quando chega se se imobilizar a pessoa, a fase seguinte do tratamento provavelmente precisará a atenção do fisioterapeuta.

Após a retirada da imobilização, a fisioterapia motora composta por alongamento e fortalecimento já poderá ser aplicada com exercícios isométricos (contração sem movimento) evoluindo para isotônicos (com produção de movimento) agregando cargas progressivas com auxílio de faixas elásticas (thera band), tendo atenção ao grau de força aplicada.

Pode-se aplicar o treino de descarga de peso gradativa sobre o pé acometido para iniciar o treino de marcha e adequar a propriocepção (Consciência da posição do corpo).

Pode ser introduzido exercícios na bicicleta ergométrica trabalhando a resistência muscular e a mobilização articular, técnicas como bandagens funcionais e kinesio taping (bandagem elástica) podem ser aplicadas também visando uma melhor estabilidade, controle de edema e redução do quadro álgico.

Técnicas de eletroterapia são de fundamental importância visto que aparelhos como o ultra-som, TENS, infravermelho, laser irão promover efeitos anti-inflamatórios, analgésicos, circulatórios e cicatriciais, respectivamente, que podem ser usados a partir do primeiro dia após a lesão a depender do tipo de imobilização aplicada.

Outra técnica muito interessante é a massagem transversa profunda de Cyriax, com o objetivo de quebrar as aderências promovidas pelas fibras de colágeno do tecido cicatricial formado após a lesão que se tornarão fracas, sem flexibilidade e desalinhadas no período de reparação, portanto a técnica irá promover uma melhor movimentação articular e muscular sem dores.

A recuperação de uma entorse é o ponto de partida para que acabe com a instabilidade articular no local e previne contra a repetição do evento.

Cuide-se!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Precauções ao usar bandagem em entorses de punho

http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/traumato/clavicula/image2.jpg

A bandagem elástica terapêutica vem sendo usada com frequência e se popularizando devido aos atletas estarem usando com muita frequência, como base de suporte para se recuperarem mais rapidamente sem parar de treinar. 

Um dos locais corporais que essa bandagem por ser utilizada é na mão/punho para prevenir lesões ou evitar que a lesão piore com a prática de alguma atividade. A entorse é uma lesão de uma articulação que causa um estiramento ou ruptura de um ligamento. Os ligamentos são bandas fortes de tecido que conectam um osso ao outro.Seu punho é composto de oito ossos que estão ligados a seus ossos da mão e os ossos de seu antebraço. A articulação do punho é coberta por uma cápsula da articulação e os ossos que estão ligados por ligamentos.

A torção no punho pode acontecer em uma queda sob o punho ou mão, quando você é atingido por um objeto, ou durante um movimento forçado do punho.

A bandagem trata-se de uma fita elástica, hipoalérgica, de várias cores diferentes, que é colocada em algumas partes do corpo com o objetivo de recuperar lesões e aliviar dores, auxiliando na reabilitação física, agindo nas áreas neurológicas, ortopédica e muscular.

Há algumas precauções no seu uso, por exemplo, em casos de feridas abertas, edemas generalizados, carcinomas, alterações cutâneas e trombose. O correto é procurar um especialista em aplicação, para fazer a avaliação do seu caso e saber se é preciso ou não usar a bandagem. O conselho que dou é que ela seja aplicada por um profissional habilitado na técnica e que conheça as disfunções cinético-funcionais.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Pisada para dentro pode causar entorses de tornozelo

pé areia euatleta (Foto: Getty Images)

As pessoas portadoras de pés planos, conhecidos como pés chatos, têm a tendência de pisar para dentro, com a borda interna dos pés, ou seja, são chamados de pronados. O que causa desequilíbrio na pisada e na marcha provocando várias lesões como entorses de tornozelo que ocorrem com mais freqüência.

É necessário um trabalho de fortalecimento dos músculos envolvidos na articulação do tornozelo e de toda a perna. É fundamental trabalho de equilíbrio e propriocepção para ativar as reações de equilíbrio para diminuir ou zerar os entorses.
Ao detectar-se pés planos no bebê, os pais devem ficar alertas, conversar com o médico para trabalhar os pés da criança desde cedo, para prepará-las para a marcha. O caminhar em diferentes solos com diferentes texturas, solos irregularidades, bolas, apanhar objeto com os pés.

Na natação, a criança trabalha nas atividades de psicomotricidade os pés e o equilíbrio de todo o corpo. O uso de botas ortopédicas e palmilhas é muito discutido, cada caso é um caso, mas os exercícios citados são imprescindíveis.
O caminhar e o brincar, correr na areia fofa, são um dos melhores exercícios. O andar descalço em diferentes tapetes, subir e descer obstáculos, o trabalho psicomotor é muito indicado para fortalecer e dar mobilidade dos pés.

A criança var crescendo com trabalho direcionado visando aumentar o arco plantar, ou seja, a curvatura da sola dos pés. Quando recebemos o paciente adulto, orientamos exercícios que de vem ser feitos para o resto da vida para fortalecimento e alongamento muscular e flexibilidade articular, mas não é possível ganho de arco plantar.
Os pacientes relatam casos de recidivas de entorse, as vezes, com consequências pequenas como edema, dor e muitas vezes com esgarçamento ou ruptura de tendões ou fratura óssea, o que acarreta transtornos na vida pessoal e laboral das pessoas.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Primeiros Socorros em Acampamentos


Podem ocorrer acidentes na hora da diversão

Podem ocorrer acidentes na hora da diversão

Fratura fechada – quebra de osso sem rompimento da pele.

Gravidade: média a alta.

Sintomas: dor intensa, deformação do local afetado, incapacidade ou limitação de movimentos, edema com ou sem hematoma, crepitação (atrito entre as partes fraturadas).

Procedimentos: imobilização do membro afetado. Manter o membro em posição natural, improvisar talas com material disponível e acolchoá-las, amarrar as talas com tiras de pano em torno do membro fraturado, porém não na fratura, deixar os dedos para fora para verificar a circulação do sangue. Em caso de fratura de antebraço, providenciar tipoia. Em casos de fraturas de clavícula, omoplata, braço, ombros ou cotovelos, imobilizar com tipoia e prender o braço no tronco com tiras de pano. Encaminhar a vítima ao hospital.

Fratura exposta – quebra de osso com rompimento da pele.

Gravidade: alta.

Procedimentos: proteger o ferimento com pano limpo antes de imobilizar, nunca tentar colocar o osso no lugar, imobilizar, encaminhar para o hospital.

Fratura de crânio

Gravidade: alta.

Sintomas: dor local, vômito, inconsciência, parada respiratória, hemorragia pelo nariz, boca ou ouvido.
Procedimentos: manter a vítima imóvel e agasalhada, não mexer na vítima até chegada do socorro, quando será colocada de costas sobre superfície dura (maca, tábua), com imobilização da cabeça e encaminhada ao hospital.

Fratura de coluna

Gravidade: alta.

Sintomas: dor local, perda de sensibilidade, formigamento e perda de movimento dos membros.

Procedimentos: iguais aos da fratura de crânio.

Fratura de costelas

Gravidade: alta.

Sintomas: respiração difícil, dor a cada movimento respiratório.

Procedimentos: iguais aos da fratura de crânio.

Fratura de bacia ou fêmur

Gravidade: alta.

Sintomas: dor no local, dificuldade de movimentos e de ficar em pé.
Procedimentos: iguais aos da fratura de crânio.

Entorses – estiramento ou ruptura dos ligamentos.

Gravidade: média.

Sintomas: dor intensa no local, edema com ou sem hematoma.

Procedimentos: colocar gelo no local, imobilizar com faixas. Se houver suspeita de fratura, o inchaço e a cor roxa forem excessivos, encaminhar para atendimento médico, pois pode haver necessidade de engessamento.

Como prevernir entorses no tornozelo


Corredores, jogadores de basquete, futebol, vôlei e muitos praticantes de esportes relatam terem sofrido pelo menos uma vez um dos tipos de lesão mais comuns entre praticantes de esportes: a entorse de tornozelo. Eu mesmo já torci o tornozelo e se você que me lê também já passou por isso, sabe que é não é nada agradável. A lesão nos impede de apoiar o pé no chão por algum tempo, no mínimo algumas semanas.
As estatísticas mostram que boa parte das pessoas que já sofreram entorse de tornozelo acabam sofrendo uma nova torção na região, em geral por negligência no processo de reabilitação. A grande maioria dos esportistas acha que está pronta para retornar aos treinos quando  a dor desaparece, mas isso é um grande engano.
É fundamental investir em exercícios de propriocepção (popularmente conhecidos como equilíbrio), que nos fornecem informações sobre a posição das diferentes partes do corpo. Após um entorse, nossa propriocepção fica comprometida, o que nos deixa mais vulneráveis à ocorrência de novas torções.
Como mostra o gráfico abaixo, a reincidência de entorses no tornozelo é mais alta quando não são realizados exercícios preventivos.

Texto de 

Renato Dutra

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Bom blog sobre Fisioterapia




A internet virou uma grande fonte de consulta das pessoas para qualquer assunto. E quando elas querem saber algo sobre a Sua Saúde não poderia ser diferente. São milhões de pesquisas diárias para saber informações de doenças como dores na coluna, asma, dengue, hérnia de disco, tendinites, entorses, dentre outras.

Fisioterapia Uroginecológica
Para as pessoas que procuram por tratamento ligados à Fisioterapia não seria diferente.  E ter uma boa fonte de consulta é importante para a melhor orientação de um tratamento ou até para a busca do melhor profissional. Se tratando de fisioterapia, um blog muito bom é o Faça Fisioterapia. Além da página principal, onde há milhares de posts sobre todos os tipos de assuntos, eles mantém blogs sobre especialidades, terapia manual e um site só para videos.

também o blog de Terapia Manual e o FisioVideos, todos administrados e atualizados pela mesma equipe. 

Fica a dica e use sempre a área de busca do blog. Com certeza você encontrará algo que tem duvida. 

Olha ai as redes sociais deles:

twitterfacebookinstagramgoogleyoutube


Post Parceiro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...