O entorse e o tratamento na fase aguda.






Dados estatísticos

O Joelho é uma articulação de exigências extremas na prática esportiva e deve associar dois paradoxos: ser estável o suficiente para suportar peso e ter liberdade de movimento absoluta para poder transmitir a energia cinética do movimento. Por este motivo, é uma articulação extremamente sucetível ao trauma e, até mesmo movimentos aparentemente inofensívos podem lesar suas estruturas e comprometer a performance do esportista.

As taxas de incidência de lesões ao joelho vêm crescendo anualmente. Isto se deve, provavavelmente à maior participação nos esportes de todos as faixas etárias. Nos EUA, estima-se que hajam, anualmente, 90.000 lesões agudas do ligamento cruzado anterior.

De que maneira ocorre lesão intrínseca aos ligamentos, meniscos e revestimento cartilaginoso do joelho ? O entorse é, disparadamente o movimento que mais lesa estruturas intrínsecas do joelho. No futebol, esporte muito popular no Brasil, o trauma ocorre com o pé fixo ao solo, ou preso à perna do adversário, ocorrendo rotação anormal interna ou externa do fêmur em relação à tíbia. Os ligamentos e meniscos, neste momento, submetidos as estresses tênseis acima do suportado, desencadeam um arco reflexo medular com contratura dos músculos anterior (quadríceps)e posterior (isquiotibiais) da coxa, na tentativa de proteger a articulação. Quando a energia do trauma é superior a este mecanismo de defesa, há deformação e ruptura das estrutas envolvidas. O resultado são as distenções musculares, estiramentos e rupturas ligamentares e meniscais. Entorses com o indivíduo agachado e que rotaciona o joelho de maneira anormal também podem lesar e, estatisticamente, estão mais ligados a lesões dos meniscos. Ocorre, por exemplo, quando um escalador move o joelho de maneira anormal e súbita para subir uma rocha. Outros mecanismo de lesão é a desaceleração súbita, classicamente, quando o indivíduo chuta o ar ao invés da bola,ou o adversário, no caso de lutas. Esta é a forma mais comum de lesão isolada ao ligamento cruzado anterior.

Via de regra, havendo lesão, há dor e contratura muscular e, muitas vezes, ela é maior em rupturas parciais de ligamentos, pois há maior ativação de receptores de dor presente dentro das estruturas envolvidas. Quando há inchaço instantâneo, há em 80 a 90% dos casos, ruptura do ligamento cruzado anterior, associada ou não a lesão de outras estruturas e, este se deve ao sangramento dentro da articulação, denominado, na linguagem médica de hemartrose.

Exemplo clássico do entorse do joelho durante partida de futebol. O pé do jogador está preso ao do adversário e o joelho flexionado está sendo submetido a uma rotação interna forçada da tíbia sobre o fêmur.

Um pouco de anatomia

Mas, afinal, o que vêm a ser o ligamento cruzado anterior, meniscos, cartilagem? Para que servem? Observando-se um esquema anatômico simples do joelho, nota-se uma estrutura que parte detrás de uma proeminencia ossea do fêmur, chamada de condilo femoral e se insere na parte anterior da tibia, entre as fixações dos meniscos. É o ligamento cruzado anterior, estrutura responsável por "segurar" a tíbia e evitar o movimento de translação dela sob o fêmur e por emitir informações sensoriais ao centro do movimento ao cérebro para que a pessoa tenha a sensação do movimento e tenha melhor coordenação motora. A isto se chama propriocepção.

Então,o ligamento cruzado anterior, além de simples estabilizador mecânico também é responsável pela coordenação motora? Sim, e o restabelecimento da mesma é muito importante no tratamento de suas lesões.A cartilagem é o "revestimento" em torno da extremidade do osso. Serve para a distrubuição mais uniforme do peso e tem altíssima capacidade de deformação. É, portaneto, estrutura de suma importância na dissipação de energia. Os meniscos são uma especie de "amortecedores", localizados entre o fêmur e a tíbia e são divididos em 3 partes (cornos): anterior, médio e posterior. São também responsáveis por estabilizar o joelho, aumentam a congruência entre seus ossos, absorvem o impacto e também auxiliam na propriocepção.

Torci o joelho. E agora ?

Conforme descrito acima, o entorse é muito doloroso e pode incapacitar para que o indivíduo continue a praticar esportes. Até que se prove o contrário, um entorse seguido ou não de inchaço é grave e você não deve continuar a prática esportiva, a não ser que esteja em algum lugar remoto e deva deambular para conseguir socorro. A procura a algum serviço médico de confiança, que disponha de médico ortopedista deve ser imediata e não deve ser postergada a fim de se evitar piora dos sintomas.

Em linhas gerais,para tratar o entorse do joelho, seguimos o conceito "PRICE" da língua inglesa: Proteção (protection), Repouso (rest), gelo (ice), compressão (compression) e elevação (elevation). Em outras palavras, o joelho deve ser imobilizado de maneira discretamente compressiva, deve ser feito gelo, sendo aconselhável uma bolsa a cada 4 horas, 20 minutos, sem contato direto com a pele, evitando-se queimaduras pelo frio e manter o membro acometido elevado. O indivíduo deve usar 1 par de muletas axilares e não deve, em hipótese nenhuma, pisar no chão com o membro

acometido.ccaaDr. Adriano Leonardi é médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte e cirurgia do joelho. Membro da equipe Taktos

O entorse e o tratamento na fase aguda. O entorse e o tratamento na fase aguda. Editado por Dani Souto on 15:15 Nota: 5

Um comentário:

Luciano Toledo disse...

PRATICO MUSCULAÇÃO HÁ 15 ANOS. ATUALMENTE COM 38 COMECEI A SENTIR DORES NA PANTURRILHA DIREITA E NO TORNOZELO APÓS REALIZAÇÃO DO LEG PRESS 45 GRAUS (MOVIMENTO REALIZADO COM O PESO ABAIXO E DEPOIS LEVANTO-O). AO FAZER UMA RM O EXAME ACUSOU:
RM
• discreta proeminência do processo anterior do calcâneo
• ausência de derrame articular significativo
• superfícies regulares • tendão fibular curto afilado, com sinais de lesão parcial longitudinal crônica tipo split nos seus trajetos retro e inframaleolar, numa extensão de aproximadamente 2,5 cm
• endinopatia distal do tibial posterior junto na inserção navicular, sem rupturas • demais tendões preservados
• tendão calc&aci! rcneo com espessura e senais normais
• acentuado afilame! nto cica tricional das fibras profundas do folheto tibio-talar do complexo ligamentar deltóide
• ligamentos tíbio fibulares íntegros
• fáscia plantar com espessura e sinais normais
• seios do tarso livre
• planos musculares anatômicos, sem evidência de lesão.

A orientação do meu ortopedista que não é especialista em esporte disse que uma questão de tempo e descanso para superar esse problema. Parei de treinar a parte inferior do corpo há 4 meses. As dores reduziram mas não despareceram. Comecei uma série de exercícios excêntricos para a panturrilha com o objetivo de em tese fazer uma orientação da formação de colágeno em alguma lesão existente. Notei uma melhora e já estou realizando alguns exercícios conforme este site http://www.clinicadeckers.com.br/html/orientacoes/fisioterapia/exercicios/tornozelo.html . Minha dúvida é estou no caminho certo? Sou um candidato a cirurgia ou estou apenas reagindo de forma exacerbada quanto ao resultado da minha RM.

obrigado

Tecnologia do Blogger.